Follow by Email

terça-feira, 26 de julho de 2011

Correndo atrás do coelho

Já perceberam como nossa vida é feita de ciclos? E todos eles com início, meio e fim. Isso me lembra, inclusive um texto do Arnaldo Jabor sobre o fim dos relacionamentos (se quiserem ler).

Mas não é sobre isso que quero escrever... Nos meus preciosos 4 dias de descanço, em que quase fiquei uma "expert" na arte milenar de NADA FAZER, viajei com um casal de biólogos recém formados (incríveis por sinal).

E, acreditem se quiser, meu primeiro vestibular eu prestei pra biologia. Depois dessa convicência com a Bi e com o Douglas, percebi que publicidade foi meu sonho desde criança, não tenho absolutamente NADA a ver com biologia.

Mas, naquela época, com 17 anos eu simplesmente adorava meus professores e as aulas de biologia, tinha uma forte tendência para o mundo "natureba" e era uma menina cheia de atitude.

Hoje, aos 23, passei por ambientes de trabalho incríveis e conheci líderes maravilhosos (todos de pouca idade e as vezes com idéias malucas, tipo chapeleiro da Alice, né Rodrigo?), vivo de convencer as pessoas a comprar aquilo que talvez elas ainda não saibam que querem, mas a menina cheia de atitude continua aqui, firme e forte.

Não sei se é simplesmente uma característica dos profissionais da tão falada Geração Y, entretanto, eu mudo muito de idéia e vivo os meus ciclos com início, meio e fim. Sem me apegar demais no porque das coisas e tentando levar a situação pelo lado positivo que as vezes não está tão aparente.

Profissionalmente, sempre me dediquei de corpo e alma a essas mudanças, corpo esse que hoje já sofre um pouco das consequências da mudança abrupta de rotina.

Hoje trabalho em um ramo que jamais cogitei estar, em uma função que também nunca imaginaria exercer. É o que eu quero ser quando crescer? Não... mas talvez eu acabe sendo, quem sabe? O mundo dá, realmente muitas voltas, por isso acredito bastante na idéia de viver cada momento.

Claro, tenho planos... E muitos!! No âmbito pessoal, sempre mudo de idéia e falo que é definitivo. E sabe o que eu acho? Que vou continuar assim pra sempre, ou não, posso mudar de idéia amanhã, quem sabe.

O mais importante, na minha opinião, é aprender e crescer com as mudanças. Agente sempre quer ser algo melhor quando crescer, fechar e abrir ciclos faz parte dessa grande roda gigante que é a vida. O meu pra sempre é relativo, afinal de contas, é MEU.

Então minha gente, que tal parar pra pensar se o o ciclo profissional, pessoal, familiar, religioso, de educação, amores, amigos... É, relamente, onde você quer ou precisa estar.

Até porque querer, nem sempre é poder. Já estamos bem grandinhos pra acreditar que a vida imita os contos de fadas, né? Mas nunca é tarde pra correr atrás do coelho.

9 comentários:

  1. Carol adorei o post de hoje .. acho que é pq me identifico muito com ele.
    E já que estou na minha semana de ÓCIO criativo ... ando pensando e fazendo alguns ajustes nos meus planos ....
    O problema de correr atras do coelho branco e que você pode esbarrar com a Rainha vermelha ! kkkkkkk

    ;)

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkk

    A Rainha de Copas pode ser um problema mesmo Né Arrizinha...mass, melhor esbarrar com ela do que ficar parada em um mesmo lugar!

    ResponderExcluir
  3. Meninas, Arri e Carol... vamos curtir um pouquinho de ócio criativo juntas? Que tal um Happy Hour na segunda para brindarmos as mudanças! Hehe. Sintam-se abraçadas.

    ResponderExcluir
  4. Fechado, na segunda agente combina o horário!

    ResponderExcluir
  5. não posso deixar de colocar aqui minha opiniao sobre este post... Carolina Stecca, volte ao trabalho. A Amy morreu aos 27, não deixe que isto aconteça com você, largue as drogas.

    ResponderExcluir
  6. Se eu morrer vc vai chorar, Victor Negretto???

    ResponderExcluir
  7. vou chorar bastante. acho q de 15 a 20 lagrimas... tá bom esse tanto?

    ResponderExcluir
  8. Victor sem coração né kkkk.

    Aos 27 vamus ainda contar muita história nos 1008 da vida hehe

    ResponderExcluir